Ursula Nogueira

Coluna da Ursula Nogueira

Veja todas as colunas

A crise do Cruzeiro vai além do administrativo

08/09/2019 às 06:36
A crise do Cruzeiro vai além do administrativo

Era pra ser um domingo diferente para o torcedor cruzeirense. Depois de uma eliminação na Copa do Brasil, com o foco totalmente no Campeonato Brasileiro, o torcedor celeste esperava uma vitória diante do Grêmio para iniciar o caminho de recuperação no Brasileirão. Mas não foi o que aconteceu.

Pareceu-me um time apático, desligado, desfocado, displicente. Esse foi o Cruzeiro que entrou em campo no Independência. Um time que testou até a paciência da torcida a todo o momento, com alguns erros. A verdade é que, ultimamente, parece ser excelente ter como adversário a Raposa. O time não tem oferecido perigo! E isso não é só problema tático ou estilo de jogo de treinador A ou B. Embora alguns torcedores não concordem, é preciso dizer a verdade: o Cruzeiro vive uma crise que vai do setor administrativo e chega à arquibancada. Não adianta esbravejar contra a imprensa. É preciso mostrar que a crise financeira e administrativa está prejudicando a história do clube, afetando todos os cruzeirenses. Uma instituição como o Cruzeiro não pode aceitar omissão, seja lá de quem for. A Raposa vive, talvez, a pior fase de todos os tempos. E parece que alguns assistem a tudo isso, sentados em suas cadeiras reclináveis.

O torcedor não merece tamanho desmazelo com as cinco estrelas. Não dá pra aceitar que um jogador mande a torcida calar a boca ainda mais sem razão. É preciso ter respeito com aqueles que constroem a história do clube. Aqueles que abrem mão de muita coisa, e até mesmo do orgulho, para poder ir ao estádio. O respeito acabou e agora vale tudo? Vale reclamar do treinador, recém-contratado, nos microfones, e em seguida mandar a torcida – que o vaiava – se calar? Alguém precisa dar um tapa na mesa e mostrar que tem comando. Existem algumas fases na vida que parecem que não vão acabar nunca e quando não se faz nada pra mudança este tempo fica maior ainda. A impressão que o torcedor e todos têm é que o comando está parado. E fico me perguntando se realmente vai ter quem vai chamar a responsabilidade para si.

O momento agora é de união. O torcedor precisa fazer algo! Chamem, ergam o time, apoiem, cobrem, protestem. Não é o momento de defender número de camisa ou dirigente de clube! Os torcedores, atletas, dirigentes e comissão técnica precisam defender a instituição Cruzeiro Esporte Clube. É hora de parar de terceirizar a culpa e cada um assumir o seu papel. A fase é complicada demais, mas precisa ser enfrentada. Do conselho à arquibancada. Agora é hora do torcedor apoiar o técnico Rogério Ceni para que ele possa tomar as medidas cabíveis. Não há lugar para quem não honra a camisa que veste!

É preciso respeitar a história do clube!

(Foto: Vinnicius Silva/ Cruzeiro)

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    "A família me procurou no início do mês, estava preocupada por ele estar sem advogado", explicou o advogado #itatiaia

    Acessar Link