Notícias

Lisca detona árbitro após derrota e eliminação do América no Mineiro: ‘Pipoqueiro e sem colhão’

Técnico do América não poupou críticas à atuação do juiz Felipe Fernandes de Lima no clássico contra o Atlético

Por Fábio Rocha, 06/08/2020 às 00:57
atualizado em: 06/08/2020 às 01:08

Texto:

Foto: Daniel Hott / América
Daniel Hott / América

O técnico Lisca não poupou críticas ao árbitro Felipe Fernandes de Lima, após a derrota do América por 3 a 0 para o Atlético, nesta quarta-feira, no Independência, que decretou a eliminação do Coelho nas semifinais do Campeonato Mineiro. O treinador americano disse que foi uma “vergonha” e chamou o juiz da partida de “pipoqueiro” e “sem colhão”.

“Perder de 3 a 0 e falar da arbitragem é difícil. Mas hoje eu vi uma das maiores pipocadas da história do futebol mineiro. Senhor Felipe, o senhor é pipoqueiro. Você e o seu trio de arbitragem. A justificativa que dada pra mim é que ele tinha um zagueiro na cobertura, mas eu acabei de ver o lance ali. Não tinha ninguém na cobertura, nem minha mãe, nem meu pai, nem ninguém. Foi uma vergonha o que eu vi hoje”, disparou Lisca.

Leia também: Marcos Salum diz que América foi prejudicado pela arbitragem em derrota para o Atlético

“Não pode uma arbitragem do nível de semifinal de Campeonato Mineiro não ter, desculpa a palavra, colhão, para expulsar um jogador do Atlético com dois minutos, o que mudaria completamente a partida. O meu jogador já tinha tomado a frente e estava em direção ao gol. O Junior (Alonso) puxou com os dois braços, era o último homem, não tinha cobertura nenhuma. Clara e manifesta situação de gol, o Ademir é muito rápido, jamais o Junior iria pegar ele. Senhor Felipe, lamentável o que o senhor fez. O senhor não tem condições de apitar, não tem coragem de apitar o que é o jogo”, completou o treinador americano.

Um dos lances que Lisca reclamou aconteceu logo no primeiro minuto de jogo. Ademir aproveitou um vacilo do Atlético, que estava com a marcação toda adiantada, e arrancou em velocidade no meio-campo, mas foi derrubado por Junior Alonso. Os jogadores do Coelho pediram a expulsão do atleticano, mas o juiz entendeu que não era uma situação clara de gol e deu cartão amarelo para o jogador do Galo.

No fim do primeiro tempo, o América pediu pênalti após a bola tocar no braço de Réver dentro da área do Atlético. O árbitro de vídeo entrou em ação, mas entendeu que a bola tocou antes no peito do zagueiro atleticano antes de resvalar no braço.

Já no início da etapa final, Junior Alonso cometeu falta em Ademir. Como o zagueiro paraguaio já estava amarelado, o América queria a expulsão do jogador do Atlético de novo, mas o árbitro não deu a segunda advertência.

“Mais um lance de segundo amarelo para o Junior, na minha frente. Mas ele já tinha amarelo, então o Senhor Felipe veio para... meu Deus do céu. Estava 0 a 0 ainda. Uma falta fortíssima na minha frente e ele já tinha o amarelo. Jogar contra o Atlético já é difícil. E jogar contra 14 mais o pessoal do VAR aí é muito complicado”, finalizou Lisca.

Agora, o América foca as atenções na estreia no Campeonato Brasileiro da Série B. No sábado (8), o Coelho vai a São Paulo para enfrentar a Ponte Preta, às 21h.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'O projeto introduz dispositivos claros e objetivos, com penalidade para aqueles que prestarem informações falsas ou deixarem de executar as medidas compensatórias', defend...

    Acessar Link